Video: Best XXXcessory - Manila Luzon


Eu simplesmente amei essa música! Viciando e muito legal!

Garota Jolie - Cap 21



Capítulo 21

            Comecei a trabalhar na loja de tatuagens. Não era nada muito difícil, para falar a verdade. Como a vaga era de assistente, ora eu ficava no balcão, ora ia levar algumas coisas pro Rogério, limpar aqui e ali, coisa e tal. Eu saí direto da faculdade, almocei por ali por perto, e fui trabalhar. E ah, antes que perguntem, infelizmente não a vi na faculdade naquela manhã.

            Eu estava limpando o balcão na maior calma do mundo, ouvindo uma musiquinha, quando Lili me chamou:

- Sara, você pode cuidar aqui do balcão pra mim? Preciso buscar uma roupa numa loja, mas eu volto já.

- Beleza, pode ir. Eu dou conta. – pisquei pra ela.

Vídeo: Closer | multi-lesbian


Vi esse vídeo e achei legal postar aqui! lol
Muitos fandoms e filmes sobre lésbicas. Enjoy! 

Swan Queen: Never Too Late - Cap 4



Capítulo 4

Ela dirigiu até a escola do Henry; sabia que a Mary Margaret estaria lá. Estacionou em frente à escola e saiu do carro, esperando pela professora. Quinze minutos depois, o sino da escola tocou, e as crianças começaram a sair. Ela viu Henry correndo entre elas, mas não quis ir falar com ele. Sabia que a prefeita poderia chegar logo para pegá-lo, e ela definitivamente não queria encontrar com Regina agora. Então ela viu a mulher morena de pele branca no meio das crianças, e a chamou.

Girl Talk: Mulher que Come a Madonna


Não, não vamos discutir se ela realmente dá uns pegas na rainha do pop, isso é questão pra curiosos, ou fãs de carteirinha. E se você, fã da Maria, caíu aqui de para-quedas aqui, me desculpe lhe decepcionar, mas o post também não é se ela é sapata ou não (ah vá?). 
Hoje o assunto é sobre a Mulher que Come a Madonna, ou seja, aquele tipo de sapa que não tem vergonha, e sim tem a coragem de cantar pra todo mundo ouvir que ela comeu e bebeu a Madonna, e ninguém tem nada com isso.

Runaway










Runaway
Run away with me my dear lady
Let’s go to somewhere nobody knows. 
Just you and me
Yeah, I said just you and me, 
Against the whole world.
Run away with me and you will see
Everything will be easier for you and me
I can’t promise you won’t get hurt
But I will be there to you to trust.
Run away with me 
Ru-ru-runaway, let’s run away,
Let’s show them we don’t need more
Just a guitar, a car, and no destiny
Yeah, I said runaway, let’s be runaways
We can reach the stars and steal the moon,
We will make it in any room.
Let’s run away, run away, from here.
I may not have enough money
Or be the coolest girl on town,
But baby I can make you smile,
You’re the reason why I believe.
Somewhere away from here
Somewhere away from tears
It’s enough for you and me.
So let’s run away, runaway
Let’s ru-ru-ru-runaway. 
Let’s ru-ru-ru-runaway. 
Let’s ru-ru-ru-runaway. 
Away from here. 

Querido Ano

Querido ano, você pode finalmente acabar, fazendo o favor?

Está tudo desmoronando, tudo deu errado nesse ano... Ok, nem tudo, muitas coisas boas levo no coração e na lembrança, mas ainda assim...

Imagens Que Contam Histórias 20

Além de baseada nessa imagem, inspirada principalmente pela música "Bandolins" do Oswaldo Montenegro http://www.youtube.com/watch?v=VemQd1nZdnE


Naquela noite, o barulho da música me embalava. Meu corpo relaxado respirava a melodia, enquanto o fogo que crepitava na fogueira me aquecia. O vento trazia promessas, juntando-se às conversas animadas das pessoas à minha volta. Nada prendia minha atenção, nada era interessante o suficiente para tal. O fogo tremulou, a brisa nos avisou, o silêncio obedeceu, mas nada me prepararia para a cena seguinte. Meus olhos  embaçados, eu não conseguia divisar as cores que se balançavam em minha frente. Verde, rosa, azul, laranja, amarelo... Rodando, rodando e rodopiando, tirando-me o fôlego. E aqueles olhos... Chocolate derretido puxando-me para dentro das labaredas ardentes, tirando-me a vida, a força, o ar. Já não havia nada que eu pudesse fazer, já estava perdida. E os olhos, agora fechados, eram escondidos pelos cabelos castanhos que caíam em cachos. O busto subindo e descendo, ao som da música, os ombros indo e vindo, indo e vindo, puxando e empurrando, num doce e ilusório balançar. E ela dançava, os pés delicados tocando o chão empoeirado, uma correntinha em volta do tornozelo direito. A música era eterna, assim como sua dança que me prendia mais e mais a cada segundo. O corpo moreno clamando por ser tocado, beijado, profanado, observado. E outros gritavam, assobiavam, teciam elogios. Não, eles não eram merecedores dela. Não precisavam dela pra sobreviver. Mas eu... Eu gritava, gritos mudos agarrados na garganta, só querendo ser vista, notada. Sempre que ela se afastava, pés mal tocando o chão, meu corpo se convertia para frente, precisando dela. E aqueles olhos... Doces chocolates derretidos, derretendo minhas vontades naquele sorriso esboçado. E com aquele sorriso, eu sabia. Era minha. Ou era dela? Ou éramos uma? Já não sei, não consegui pensar. A melodia dando seus últimos toques, os rodopios cada vez mais lentos, o ar cada vez mais pesado, a temperatura mais quente... Nada mais fazia sentido. Só ela, suas cores iluminando meu céu, seu sorriso me libertando da vida, seus olhos me sentenciando à morte e sua presença prometendo-me uma segunda vida. Se a música parara? Se ela ainda dançava? Rodopiava, rodopiava, rodopiava, e eu já não mais respirava.

Garota Jolie - Cap 20


Rufem os tambores....
Garota Jolie está de volta! 
Aproveitem a leitura, e comentem, pra eu saber o que estão achando!
Beijos e boa leitura ;)


Capítulo 20

            Eu entrei por uma porta, mas minha vontade era dar meia volta e fugir dali! Bela guerreira, né? Coragem passou longe, mas com a cara que o marido da Priscila estava, duvido que alguém ficasse por ali!

- Ora ora, quem resolveu aparecer por aqui? – a voz dele era irônica.

- Digo-lhe o mesmo – sorri amarelo, mas minha vontade mesmo ainda era correr.

- Acho que ainda não entendeu o recado de ficar longe da Priscila... – ele levantou uma sobrancelha e cruzou os braços no peito.

- Por acaso ela está aqui do meu lado? Só se ela for invisível... – comecei a beijar o ar, só de sacanagem.

Swan Queen: Never Too Late - Cap 03



Capítulo 3

- Ah sim, é claro. Entre, senhorita Swan – Emma podia jurar que ela viu um sorriso malicioso nos lábios de Regina, mas ela resolveu entrar assim mesmo.

            Regina entrou no escritório e fechou a porta logo após as duas entrarem. Emma estava mais preocupada em prestar atenção ao que Regina tinha no escritório do que nas ações da mesma. A prefeita andou, posicionando-se atrás de sua mesa, e abriu a primeira gaveta, pegando as chaves das algemas. A loira suspirou de alívio, e estendeu os braços, mas Regina não se moveu.

- Então... É... Você poderia tirar as algemas, por favor? – Emma perguntou levantando uma sobrancelha.

Poesia - Sonhos Passados



Sonhos Passados

Certos sonhos não são mais do que isso, sonhos. 
E de sonho em sonho eu vou caminhando, 
Procurando a trilha certa, perdendo-me no caminho,
Até você eu novamente encontrar. 

Vídeo - P!nk: Try


Eu achei que já tivesse postado esse vídeo aqui ainda, mas não tinha.
Então aqui está!
Eu amo a cantora P!nk, acho as músicas e os vídeos dela muito bom, as letras são simplesmente perfeitas. Gosto muito de Sober, Fucking Perfect, Who Knew, Stupid Girl, So What, Raise Your Glass...
E agora, Try

"Where there is desire there is gonna be a flame
Where there is a flame someone’s bound to get burned
But just because it burns doesn’t mean you’re gonna die
You gotta get up and try, try, try
Gotta get up and try, try, try
Gotta get up and try, try, try"

Ondas de Redenção


 

Essa crônica foi escrita guiada pela proposta de redação imposta em sala de aula, na qual deveríamos escrever sobre uma praia, a calmaria, o sol, e então o tempo nublado e a chuva, utilizando-se de recursos sonoros. 


Nada mais a acalmava daquela forma como o mar. Em dias como aquele, nos quais precisava acalmar o coração, andava na beira do céu, deitava na areia branca, espreguiçava tranquila ouvindo o barulho do burburinho das águas. Suspirava, sentindo os singelos sussurros serpenteando por entre as árvores, suspensos, sendo carregados pelo vento. Seu coração, que sempre batia forte, tamborilando em seus ouvidos, querendo pular para fora do peito pequeno, precisava de um descanso. Fazia tempos que não conhecia outra batida que não a do amor, a da espera, a da ansiedade. Algumas vezes o tum tum de dentro se acelerava com o trim trim do telefone, e quase parava por alguns segundos, ao constatar o tu tu tu tu do aparelho mudo em sua mão trêmula.

Menina tola.
Ainda acha que tem alguma chance?
Não percebeu que ela não lhe quer?
Só a sua amizade? 
Seu companheirismo?
Mas não seu amor?
Não percebeu que força a barra?
Não percebeu que é sozinha?
Não percebeu?
O amor não é pra você.
Nunca foi. 
Chore, chore o quanto quiser.
Eu sei que dói, profundamente.
Como se lhe arrancassem o coração,
Não, pior!
Como se o rasgassem...
Chore, chore mais. 
E enlouqueça.
e eu não tenho nada a oferecer; nada de extraordinário; só eu mesma, desse jeito esquisito; desse jeito exagerado; desse jeito desesperado.

Nas Suas Águas


Nas Suas Águas

Paciência. O que aprendo agora, o que me esgana nesse exato minuto, e o que me traz para fora da água, podendo respirar enfim, é a paciência. Assim mesmo como veio ao mundo, nua e crua. Sabe, é que assim, eu tenho essa urgência de falar, andar, fazer, pensar, gritar e sentir, tudo ao mesmo tempo, nesse furacão de emoções que não duram nem um segundo; urgência de saber, de querer, de ansiar por uma resposta, um sinal de vida, um suspiro de alívio, qualquer coisa que me mostre que nada foi em vão. Não sei esperar, esse é o meu tão guardado segredo. Não colou? Verdade, não colou. Meu maior segredo, meu maior medo, é pecar pelo silêncio e lhe perder tão facilmente assim. Por uma palavra, um gesto, um silêncio mal colocado, colocar tudo a perder. Sempre vivi assim, correndo, nessa urgência de explicar a qualquer custo, nesse medo insano de perder o que nem possuo ainda. Nunca ninguém reclamou. Nunca ninguém me parou, até você chegar. Parece clichê, eu sei, mas não o é.
Se eu fosse sua namorada, dançaria com você todas as músicas possíveis nesse mundo.

Chove Chuva



Chove chuva, vai levando embora com tuas gotas secas essa tristeza que se abatera sobre mim. Carrega em tuas asas minhas inseguranças, e solte suas inibições. Chove chuva, deixa-me beber do teu doce líquido, deixa-me embriagar nesse senso de loucura que só tu trazes, deixa a felicidade e leva embora a minha dor. Chove chuva, por favor, faz tanto tempo que não choves que já me esqueci de como é sorrir bobamente, como é querer que seja eternamente janeiro, e como se é doce o gosto da vitória nos lábios da minha amada. Chove chuva, ouça minhas preces e me transporte para onde ela está.

Vídeo: RuPaul - Superstar


Sou super fã da Drag Queen RuPaul e do seu programa: RuPaul's Drag Race. Esse vídeo foi feito com a música Superstar da RuPaul e foram usados partes da terceira temporada da série. Eu simplesmente fiquei apaixonada pelo clipe e pela música, sem conseguir parar de dar play. Espero que gostem!

"Gonna love you as you are, Gona love you, you're a superstar."

SQ Fanfic - The Crown



Swan Queen fanfiction - The Crown
I own nothing. Everything belongs to ABC.
Hope you guys like the story. It's about the Queen, post episode 22, post curse.

The Crown

The power, true power, wasn’t controlled by magic, or by the crown on the top of your head, or even by your blood type. Cora was wrong. She said that love was weakness, and only power would be always there for her. Only power should be trusted, because nobody would ever be able to take it away from her. If she had known how wrong that sentence was! Because of Cora, she never gave the chance for a new love, after Daniel. Because of Cora, she held so strongly into her powers that now she was powerless, nothing was left for her. She was totally lost. She always hated power. Never wanted to be a wicked queen, since when she was little. But she had learnt for good or bad, that you never ignore the power. If you were born to have it, you should honor it and use it for your own good.

Estilhaços


          
Estilhaços

          Espelho rachado, corte nos dedos enrugados, sangue negro escorrendo pelo braço trêmulo, estilhaços da imagem perfeita. Cada gota de álcool que desce pela garganta, é uma gota a mais de veneno que escorre pelos lábios vermelhos. Cada risada que sufoca é transformada em gritos desesperados de dor. Cada lágrima dilacera seus olhos, e a cada palavra morre um pouco mais por dentro. Cada música estoura seus ouvidos, cada melodia lhe deixa surda, cada verdade emudece os falantes. Cada rosto traz lembranças, e cada ilusão arranca as esperanças.

A xícara de café entre as mãos pequenas. O quão clichê aquilo poderia ser?
Por que insistia em tomar café enquanto sua cabeça doía imensamente?
Por que ela insistia em um relacionamento que só existia em sua cabeça?
Por que esperava tanto das pessoas, e nada recebia?
Por que sempre acabava sozinha com o seu café?
Tantas perguntas, tantos choros, tantas lágrimas, que nada mudavam.
Olhou para a janela, a escuridão tomava conta do quarto, e a chuva tamborilava na janela.
Suspirou, cansada. Pensando seriamente em qual seria o próximo passo.
Já tentara esquecer, divertir-se sem pensar no amanhã,
Mas em cada rosto via fragmentos da pessoa que fazia seu coração acelerar.
Tentara dar todo o amor que possuía, construir um relacionamento,
E não sabia se tudo dera errado porque ela era toda errada.
As pessoas iam embora, sempre. Não importa a circunstância.
Foi a única conclusão que ela tirou de tudo aquilo.
Menos o café. Ele era o seu único companheiro pra vida toda.
Ao menos enquanto não lhe causasse uma úlcera.
Riu da própria piada, com lágrimas nos olhos, e a angústia presa na garganta.
Na janela, as gotas batiam, cada vez mais fortes.
Suspirou, tomou o resto do café que havia na xícara, 
e desejou que pudesse desaparecer, assim como fizera com o líquido negro.
De conto em conto, de história em história, de sorriso em sorriso, a contadora roubou meu coração.

Vídeo: Alanis Morissette - Guardian


"I'll be your keeper for life as your guardian
I'll be your warrior of care, your first warden
I'll be your angel on call, I'll be on demand
The greatest honor of all, as your guardian"

Ê, Morena!


Ê, morena, solta os seus cabelos. Deixa que eu veja o sol refletindo nesse negro retinto.
Ê, morena, tenho que confessar que loiras são meu ponto fraco, mas depois que lhe conheci, passei a me amarrar em cabelos negros. Pode parecer clichê, mas como descrever a palpitação que surge dentro do peito quando lhe vejo? Como explicar essa sensação de borboletas no estômago esperando sua chegada? 
Ê, morena, porque você tinha que ter a sua cara metade?
Será que você me culparia por recriar em minha mente cenas retiradas de conversa?
Será que me culparia por criar a imagem perfeita da relação que tanto quis?
Será que me culparia simplesmente por desejar que fosse realidade?
E não o sendo, recrio, para saciar a minha loucura interior.
Não sei se você já sentiu, se já passou pela sua cabeça,
Que poderia dar tão certo, ser tão bom e perfeito,
Mas que deu tão errado?
Me culparia por querer?
Por tentar?

Show de MPB


Show de MPB

Nunca fui muito fã de MPB, só ouvindo uma Ana Carolina aqui, decorando um refrão de Alcione acolá, baixando um CD da Zélia Duncan, e coisas do gênero. Não que não goste, longe de mim, até que gosto, sim senhor! Mas, sei lá, ás vezes ás músicas são meio assim, sem sentido, sem eira e nem beira. Sempre preferi os rocks, ainda que os nacionais. Até você chegar. 

Imagens Que Contam Histórias 19


Você realmente não sabe o poder que tem sobre mim, sabe? 
Como me tem facilmente em suas mãos?
Não faz ideia de como a fantasio, faz?
Você se sente como uma garota estranha, esquisita, boba, simples, comum...
Aquela nerd que tem problemas no joelho, é baixinha demais, comum demais...
Certo?
Mas não lhe vejo como nenhuma dessas coisas, não...
De maneira alguma.
Pra mim, você é perfeitamente espetacular. 
Alta, magra. 

Vídeo: Wide Awake - Katy Perry


Fiquei simplesmente deslumbrada com esse vídeo e com a letra da música. Amei! Assisti esse clipe umas três vezes, e pude fazer várias leituras da letra, do clipe, da melodia. Espero que gostem, assim como eu.

Tudo corria bem, tudo ia no curso do rio, tudo, menos sua vida amorosa. Tudo se encaixava, momentos felizes que ela guardava em uma caixinha, seu bem mais precioso. E ainda sim, ainda sim, a menina chorava copiosamente, convulsivamente, abraçada em si mesmo, sentindo-se sozinha. Nunca haveria ninguém para preencher o vazio em seu peito, em sua vida. Talvez, para ela, não houvesse mesmo ninguém. É, não havia mesmo, ninguém para ela. Não havia, nunca haveria, como poderia?

Never Too Late - Cap 2



- Eu posso explicar! – essa foi a pior resposta que Emma poderia dar.

- Ah, é mesmo, senhorita Swan? Então você pode me explicar o que está fazendo na minha casa sozinha, no meio da noite, mexendo nas minhas coisas? – ela estava calma, perigosamente calma.

- Eu... Eu... Bem... É... Henry! Henry me pediu para vir aqui e procurar algumas coisas que ele acabou esquecendo por aqui. Eu errei a porta, me desculpe. – ela engoliu em seco, totalmente nervosa.

- Tem certeza que você quer brincar comigo? – Regina disse em um tom baixo, olhando fixamente para Emma.


She plays with me all the time
She talks to me all day and night.
Everything changed in a blink of an eye,
When she became all my heart desires.

Poesia: Menos Eu


Todo dia o homem acorda cedo pra trabalhar.
Todo dia o homem aperta a tecla pra roda girar.
Todo dia o homem toma café amargo só para aguentar.
Todo dia o homem deita e deixa o sono chegar.

Fanfic: Never Too Late



Fanfic: Never Too Late
Tv show: Once Upon A Time
Shipper: Swan Queen (Emma/Regina)
Sinopse: Nos contos de fadas, o bem sempre vence e o mal sempre perde. Mas na vida real, as pessoas são uma grande mistura dos dois lados, então nunca é tarde demais para ter o seu próprio final feliz.
Notas: Escrevi essa fanfic em inglês, e resolvi passar para o português, para que outras pessoas pudessem ler. Espero que gostem. Aqui está o primeiro capítulo.

Capítulo 1 

Eles eram felizes. Ela sabia disso, via isso.
       
Emma acordou no domingo de manhã com os raios de sol em seu rosto. Sentou-se na cama e olhou para o lado, estava vazio. Ela se levantou e viu um copo de café na mesa próxima a janela. Andou até lá, e quando olhou pra baixo, através do vidro limpo da janela, viu algo que a fez sorrir. Regina estava brincando com Henry, correndo atrás dele, em volta das macieiras. Ela podia ver um sorriso no rosto da Regina. Ela podia ver que Henry estava muito feliz brincando com sua mãe, quer dizer, com uma delas. Emma colocou um roupão por cima da roupa e desceu as escadas. Encontrou com Regina no hall, que pelo jeito estava muito animada. 

Crônica - Amargo Café



Amargo Café

Ela não era mais uma menina, mas nem por isso eu deixaria de cantar Legião Urbana para ela em um sábado chuvoso, deixando que ela fizesse o que quisesse de mim. Ela não era mais uma menina, seus olhos, outrora chocolates que me encantavam, estavam opacos e sem brilho. Os vestidos curtos que usava para cantar Kid Abelha em cima da cama, se achando a própria Paula Toller, foram substituídos pelo jeans e camiseta. Os fones nos ouvidos ainda me mostravam que seu gosto pela música não havia mudado. E então, um braço protetor rodeou seus ombros morenos, os quais sempre tive vontade de morder. Loucura, eu sei, mas quem se importa? Duvido que garota alguma reclame de ser beijada, mordida no ombro, e convidada para passar mais que uma noite, porque não a vida inteira?

Você se sente péssimo. A raiva e o choro o consomem por inteiro. Você só quer gritar e gritar e gritar, até tudo desaparecer. Arranhar, morder, bater, socar, estrassalhar seu corpo até não restar mais nada. E ninguém escuta seus gritos mudos. Ninguém olha dentro dos seus olhos úmidos. Ninguém percebe que você está a beira da loucura. Não há ajuda, não há saída. Mas você continua. Olhando para o nada e se perguntando quando isso irá acabar. E você sorri, com um brilho nos olhos negros. Já sabe a resposta. Nunca para, nunca acaba, nunca. Só piora. E você também. Até a hora em que resolver parar, nem que seja na marra, ou até o momento em que enlouquecer de vez.

Imagens Que Contam Histórias 18


Os olhos me espreitavam. Seu corpo todo retesado, como um felino se preparando para o ataque. Abaixou os ombros, as mãos espalmadas no chão. Os cabelos negros caindo-lhe pelo corpo nu. Naquele momento, nada mais importava, nada mais eu enxergava. O quarto escuro e promissor, tão estranho quanto qualquer outro quarto de motel, mas naquela noite não parecia estranho. Naquela noite tudo era tão natural, como se fosse para ser. Quando meus olhos se conectaram aos dela, senti um sentimento queimar dentro do peito, subindo pela garganta, queimando, ardendo, mostrando-se mais vivo do que qualquer coisa. Eu era sua presa, e sempre seria. Eu era dela, e agora não havia mais dúvidas disso. Veio andando de quatro pelo tapete, no chão, com um sorriso malicioso nos lábios cheios e rosados. Parou perto das minhas pernas. Sentou-se. Começou a arranhar minha perna direita, beijou-a, mordiscou-a. Voltou a encarar meus olhos, e senti meu corpo todo estremecer, arrepiar-se. Sorriu de canto. Colocou a cabeça para trás, exibindo a sua linda coleira negra. Segurei na coleira com o dedo indicador, trazendo-a para mais perto de mim. Ainda entre minhas pernas, veio até o local desejado. Agarrou-se à mim, mordendo minha pele em brasa, sugando minha força vital, tomando para si o que já era dela. Apossou-se de mim. Saciou a sede que há tempos a enlouquecia. Sentia meu corpo estremecer, chachoalhar em orgasmos violentos, enquanto da minha boca saiam palavras desconexas. Olhei novamente para baixo, e aqueles olhos... Olharam-me, desafiando-me, instigando-me. Queriam saber se ela havia atingido seu objetivo. Sorriu, mordendo a parte inferior da minha coxa. Ela havia vencido. Eu já não mais respirava.

Beijos Estalados


Faz tempo que percebo na garota coisas estranhas. Um anel estranhamente posicionado no dedão me chama a atenção há semanas. O sorriso e a risada não saem da minha cabeça. É tão estranho como com aquela carinha de menina carente, faz-me querer segurá-la nos braços e tomar conta! E mais estranho ainda, é o modo como ela vem se comportando nos últimos dias. 

Sentada confortavelmente em meu banquinho, mereço não é? Enquanto não tinha ninguém para atendermos na exposição, quando ela chega devagar, colocando o pé, apoiando no banquinho, com a perna entre as minhas. Tremi, mas fingi não me importar. É comum, certo? Errado! Amigas do peito de anos a fio fazem isso, mas não garotas que conheço há apenas duas semanas e que não são realmente amigas apenas colegas de trabalho. 

Video: Lullaby - Nickelback


"Então, só tente mais uma vez

Com uma canção de ninar
E aumente o rádio
Se você pode me ouvir agora
Eu estou chegando
Para que você saiba que você não está sozinha
E se você não sabe disso
Eu estou muito assustado
Porque eu não tou conseguindo falar com você pelo telefone
Então, basta fechar os olhos
Querida, aqui vai uma canção de ninar
Sua própria canção de ninar"

Ah, São Paulo


Ah, São Paulo

Ah! São Paulo...
És meu fascínio,
Doce menino,
Que se põe a cantar.

Quero sua dança,
Sua gente, sua mente,
Felicidade sem fim.

Placas em Neon

Nunca. Você nunca vai saber do meu sentimento por você, nem imaginar, nem mesmo uma ideiazinha que seja. Não porque eu não comente, já que até escrevo nas paredes, carteiras, portas, braços, e até em uma plaquinha de neon que carrego no pescoço. E sim porque você não lê, passa despercebido, não olha, não vê. De vez em quando, de relance, uma olhadela aqui e outra ali, e volta a fechar os olhos, só sentindo cheiros e gostos, tatos. A noite cai, você sai, a rua escura iluminada somente pela plaquinha de neon verde-limão pendurada no pescoço de uma garota de pé, sozinha, no meio da rua, fazendo papel de boba, com um semblante triste no rosto. 

Quando achou que tudo havia mudado
Quando pensou já ser grande o suficiente
 Quando passou do all-star para o salto-alto
Descobriu que nada mudara dentro dela.

As mesmas inseguranças batendo na porta
Os mesmos medos a assombraram naquela noite
E as mesmas lágrimas lhe fizeram prisioneira 
De um sentimento de inutilidade e solidão.

Nunca seria parte da multidão adorada
Nunca daria gostos e orgulhos aos pais 
Nunca seria perfeita aos olhos de ninguém
E o mais importante: nunca seria ninguém.

Cores e Cheiros


Cores e Cheiros

Noite fria, e eu no meu posto, sem ninguém pra prosear, admirando a escuridão, aguardando, quando uma explosão de cores estourou frente a meus olhos pequenos. 

- Obrigada, viu? - palavras dirigidas à boa alma que lhe indicou o caminho.

Guardei o livro, mãos geladas, e agora? Ela sentou-se ao meu lado, eu tremi. Era a contadora de histórias, e lá estávamos, eu e ela. Começou a me contar sobre si mesma, fizera teatro. Eita azar! Ou seria sorte? Juro que não faço ideia do porquê de ter minha vida povoada de atrizes, talvez por ser um drama? Ou seria comédia? Tanto importa, o que chamou a atenção de meus olhos foram suas mãos finas e delicadas, seu jeito engraçado de falar, sua simpatia. Simpatia que logo conquistou meus olhos. É! Olhos sim! Pois não consegui mais tirá-los dela. 

Conto - A Primeira Vez


A Primeira Vez

            A primeira vez dói. Isso é fato. E então você sente um enorme incômodo. Não sabe o que fazer direito. Fica assustado. Mas continua fazendo. E então começa a sentir prazer naquilo. O prazer na dor. O prazer da dor. O torpor. A sensação. Acredito que muitos de vocês já passaram por isso, e se não, provavelmente já cogitaram. Ninguém é tão perfeito assim, não é? Irônico até, tocar nesse tópico, quando se é considerada louca. Maluca. Estranha. Estúpida. Tudo, menos perfeita.  

Video: Dark Side - Kelly Clarkson


Eu simplesmente amei esse vídeo. É muito bonito, e o clipe é lindo. A letra é perfeita. Apesar de ser bem simples, fala muito. É o estilo de música que mexe comigo. 

"Todo mundo tem um lado sombrio. Você me ama? Você pode amar o meu?" 



Louca



Louca

Olhou para o lado e não a viu ali. 
Um medo repentino, olhando para todos os lados
Será que a tinha perdido no meio do caminho?

Estava no meio do deserto, no meio do nada. 
Percebeu que todos tinham ficado para trás,
Mas ela não. Ela estava sempre ao seu lado. 

Continuidade


A chuva cai
A lágrima escorre
O vento sopra
A porta chia
O coração bate
A página vira
O vaso quebra
A brisa chora
A folha anda
O café esfria
O olho fecha
A boca seca
O sol levanta
A nuvem caminha
A lua morre
A flor murcha
E a vida,
A vida continua.

Vídeo - Porn Star Dancing


Bem eu adorei a música, a batida é muito legal, e... Está me dando algumas ideias para continuar minha hitória "Luxúria". xD Espero que gostem da música e do clipe! 

O Abraço


- Eu te amo! - gritei no meio da rua.


Logo minhas palavras atingiram seus ouvidos, ela veio como um furacão. Os olhos cor de chocolate bem abertos, escuros, raivosos. 


- Cala a boca! Alguém pode te ouvir! - ela olhou para os lados, e então para mim. - O que quer?

- Ganhar sua atenção. - sorri de canto.

- Parabéns, agora você tem. Desembucha. - colocou os braços em frente ao peito, em uma atitude defensiva.

Morreu do quê?
Caféina.
Ixe era viciada?
Não.
Então...?
Quis amargar o doce.
Como?
Doce é pura ilusão.
Coitada.
É.


Café ou Chocolate?


Traga uma xícara de café, por favor.
O frio é intenso, não quer chá? 
Não gosto de chá. Quero café. Faz favor?
Mas está muito frio mesmo, senhorita. 
E o que me importa?

Risos e Falta de Sono


Risos e falta de sono. 
Quem vai entender?
Falta de sono
Porque falta você.

Swan Queen Challenge 5 words 2

A segunda pessoa a me mandar as cinco palavras escolheu essas aqui. 
Estão em inglês, mas de qualquer forma irei postar. Espero que leiem.



Swan Queen challenge 5 words

Eu pedi para que meus seguidores no tumblr me mandassem 5 palavras, que eu escreveria pequenas histórias para cada uma delas. As histórias seriam sobre Swan Queen (Regina e Emma, da série Once Upon a Time). Recebi vários, e resolvi postar no ff.net, está em inglês. Quem sabe ainda não traduzo pra português... 




Paranóia.
Solidão.
Dor.
Paranóia.
Solidão.
Paranóia.
Solidão.
Solidão.
...

Vídeo: Neon Hitch - Fuck You Betta


A letra dessa música não é lá essas coisas, e essa é a versão explícita, mas duvido que vão prestar muita atenção se ela fala "love" ou "fuck" com uma mulher de pernas tão gostosas quanto ela...

Girl Talk: Mulher Moderna


O tempo inteiro com anel no dedão da mão esquerda, cabelo curto, dois furos na orelha, argola, anel no meio do dedo, e quando você está pronta para cumprimentar a colega, ela abre a boca e diz: hoje é dia de encontrar os gatinhos. Isso mesmo, querida sapa. Aí tem coisa errada!

O Café Nosso de Cada Dia


Já é a terceira xícara de café que tomo, e o gosto continua amargo. Continuo tomando, achando que com outra xícara o gosto poderia ser diferente, mas foi em vão. Assim como a minha vida patética. O café já faz parte de mim; quando acordo, depois do almoço, e por quê não enquanto leio um livro antes de dormir?É engraçado quando alguém toma café pela primeira vez. Já prestou atenção?

A solidão aperta, o café amarga, as lágrimas salgam, os pés afundam, a chuva cai.

Imagens Que Contam Histórias 17


E pela primeira vez, olhei-a com os olhos do desejo. A sala estava escura, mas eu podia ver sua silhueta pela luz da lua que entrava pela janela. Os cabelos compridos caindo-lhe pelas costas nuas só me deixava mais excitada. As mãos escoradas na porta, de costas para mim, a voz rouca falando algo que eu não entendia. Tinha vontade de tocá-la, precisava disso. Sentir o seu corpo arrepiar-se ao toque dos meus dedos compridos e gelados, contrastando com sua pele quente como fogo. Virou o rosto para mim, seus olhos azuis brilharam na escuridão, eu podia enchergar o desejo estampado neles. Os lábios se abriram em um sorriso malicioso. Passou a língua nos lábios carnudos. Abriu as pernas, estendendo uma para frente e outra para trás. Mordi meu lábio inferior. Eu precisava daquela mulher. Precisava desesperadamente, não poderia mais aguentar. Lentamente ela aproximou-se de mim, debruçando-se sobre meu corpo, sem que me tocasse. Colocou as mãos no encosto da cadeira em que eu estava sentada, e começou a balançar o corpo naquela posição. Eu estava enlouquecendo! E ela sabia disso. Os olhos olharam dentro dos meus intensamente. E quando ela aproximou-se o suficiente para nossos lábios se tocarem...
Acordei, com uma ardência entre as pernas, e a urgência de conhecer aquela mulher.

Acalma esse coraçãozinho, menina


Acalma seu coraçãozinho, menina. Acalma esse tum-tum toda vez que o celular toca. 
Não chores, menina. Não chores, sabe que é apenas mais uma noite em que, cansada, já não pode mais aguentar. Acalma esse coraçãozinho, também não é tão ruim assim, você irá perceber se abrir os olhos um pouquinho mais.
Sempre haverá alguém melhor do que eu para me substituir. Sempre o sonho vem, achando que finalmente poderá reinar meu sorriso, só para descobrir quão tola sou. Lágrimas são minhas verdadeiras amigas.

Vídeo: Call me maybe


"Hey I just met you, and this is crazy. But here's my number, so call me maybe."

Só para não deixar o blog parado. Essa musiquinha vai grudar na sua cabeça, que eu sei! Bonitinha, engraçadinha, e chatinha lol 

Ciranda de Emoções



Ciranda de Emoções¹

            Pobre Virgínia. Eu diria. Louca para entrar nessa Ciranda de Pedra que envolve sua vida. Durante toda a sua infância teve essa ânsia desvairada por cirandar com os outros, e nunca a deixaram entrar. E agora, após crescer, ofereceram-lhe a mão e ela entrou, sentindo-se deslocada. Oh como se arrepende de ter entrado, já é tarde demais, não vê? Ela não se encaixa, nunca irá se encaixar, pois ali não é o seu lugar.

Um Amor Além da Vida: 34 - Amor Verdadeiro (final)



Capítulo 34 – Amor Verdadeiro

Andava de um lado para o outro, nervosa demais para ficar parada. Já fazia alguns minutos que elas a observavam daquela maneira. Não aguentando mais, Luciana gritou:

- Pelo amor de Deus, Clarice! Você ainda vai fazer um buraco no chão!

Ela parou de andar olhando pela primeira vez para a amiga.

- Não dá! Não sei o que fazer! – a amiga se levantou da cadeira onde estava sentada, ajeitou o vestido e foi até a ela.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger